Teste de tabagismo: descubra o grau da sua dependência

Atualizado: 26 de mai. de 2021

Se você quer parar de fumar, descobrir o grau da sua dependência é fundamental no processo. Por isso, existe o teste de tabagismo, para te ajudar a dar um tempo no tabaco.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que o número de fumantes no mundo seja de cerca de 1,1 bilhão de pessoas.


Só no Brasil, o Ministério da Saúde (MS) aponta que por volta de 9,8% da população ainda fuma. Isso reflete um contingente de cerca de 11 milhões de pessoas!


Além disso, no último século, o tabaco foi o responsável pela morte (evitáveis) de 100 milhões de pessoas.


Dessa forma, largar o vício é a melhor maneira de prevenir que os efeitos do tabaco no seu corpo te causem problemas sérios de saúde.


Neste artigo você vai conferir mais informações sobre como avaliar seu grau e tipo de dependência e, assim, ter mais chances de sucesso na sua jornada longe do tabaco!


Vamos lá?


Teste seu tipo de dependência em relação ao tabagismo


A literatura científica aponta que há 3 tipos de dependência em relação ao tabagismo, são elas:


● Física

● Psíquica

● Comportamental


É crucial frisar que esses níveis de dependência podem aparecer de maneira concomitante em uma mesma pessoa, em maior ou menor grau.


Ou seja, algumas pessoas que desenvolveram há menos tempo o hábito de fumar podem não ter a dependência física, por exemplo. Por outro lado, essas mesmas pessoas podem ter uma dependência comportamental.


Mas, afinal, o que é cada tipo de dependência?


É o que você vai descobrir agora.


Dependência física


A dependência física caracteriza-se pela presença de sintomas e sinais físicos (conhecidos como síndrome de abstinência) que aparecem quando a pessoa para de fazer o uso da droga ou diminui bastante o seu uso.


Assim, os sinais e sintomas da síndrome de abstinência variam de acordo com o tipo de substância utilizada e aparecem algumas horas ou dias depois que ela foi consumida pela última vez.


Por exemplo, no caso do tabaco, os sintomas de abstinência podem ser:


● Dor de cabeça;

● Irritabilidade;

● Dificuldade de concentração;

● Ansiedade;

● Sensação de vazio;

● Alteração do sono;

● Aumento do apetite;

● Tristeza e até depressão.


É claro que os sinais e sintomas não são os mesmos e cada um sofre de uma maneira própria.


Há uma série de abordagens, sejam elas farmacológicas ou não, que ajudam muito a conter esses sintomas de abstinência.


Em nossas jornadas contra o tabagismo, nosso time de especialistas de dá todo o suporte para que você sofra o menos possível com esses sinais e sintomas que fazem muitas pessoas retornarem no vício ao tabaco.


Quer saber mais sobre nossas jornadas? Clique aqui e confira!


Dependência psicológica


Com os medicamentos existentes atualmente, a maioria dos casos relacionados à dependência física pode ser tratada.


Contudo, tratar a dependência psicológica exige um acompanhamento mais intensivo, pois nossa mente continuamente nos tenta sabotar para que retornemos ao uso da droga.


Não à toa, nós da Dei um Tempo criamos jornadas em que você vai receber um amparo diário de especialistas a fim de que você possa construir uma mente cada vez mais forte para dominar seus impulsos e viver de forma plena sua liberdade!


Pouco se fala sobre dependência psíquica, mas ela tem um papel importante na vida daqueles que fumam e agem de uma forma muito complexa.


No caso do tabaco, constrói-se uma ligação psíquica que o uso da droga causa um alívio do estresse, uma fuga dos problemas do dia a dia.


Quem fuma, vê-se com esse tipo de pensamento: “É melhor eu ter que enfrentar meus problemas com a cabeça mais tranquila depois de fumar um cigarro.”


Mas, apesar do cigarro realmente anestesiar a mente, será que seu uso vale a pena mesmo diante dos malefícios que essa droga pode causar?


Neste viés, o hábito de usar o cigarro como "auto-medicação" favorece a síntese de um ciclo vicioso, uma vez que não se está lidando com o estresse em si, mas sim com as consequências físicas dele.


Pois saiba que há, dentro da psicologia, formas cientificamente comprovadas de lidar com o estresse e não simplesmente colocar “sujeira embaixo do tapete”.


Dependência comportamental


Esse é o motivo pelo qual muita gente começa a fumar.


Tratam-se dos rituais, dos contextos sociais, dos ambientes que servem de gatilho para o uso do tabaco.


Muitas vezes, reconhecer quais são esses gatilhos faz toda a diferença no processo de cessação do vício.


Por exemplo, o uso de café e cigarro[1] é um gatilho comportamental quase que unânime entre os fumantes.


Teste de tabagismo de Fagerström


Agora que você já sabe a diferença entre os tipos de dependência, chegou o momento de você aprender como se mede o nível em si do vício em relação ao tabaco.


De acordo com a Biblioteca Virtual da Atenção Primária à Saúde, o Teste de Fagerström é um dos mais apurados e cientificamente comprovados para avaliar o grau de dependência à nicotina.


No setting clínico, todas as pessoas que se apresentam com a queixa de que querem parar de fumar, precisam ser submetidas a esse teste simples.


Basicamente, o Teste de Fagerström consiste-se em 6 perguntas que são.


De acordo com as respostas, você receberá uma pontuação (escore) que mostrará o seu nível de dependência em relação ao tabaco. A soma dos pontos é representada da seguinte forma:


● 0-2: muito baixa;

● 3-4: baixa;

● 5: média;

● 6-7: elevada;

● 8-10: muito elevada.


Para que você descubra seu grau de dependência à nicotina nós da Dei Um Tempo preparamos o Teste de Fagerström especial para você.


Clique aqui e faça o teste do tabaco já!


Conclusão


Por fim, fica claro que o cigarro é um problema de saúde mundial, pois acomete bilhões de pessoas ao redor do globo e é a causa primária de muitas e muitas mortes.

Aqui é legal fazer o link com o artigo (que ainda será postado - 02/04) sobre o tema.

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo