Tabagismo na adolescência: Os perigos e como combater

Com quantos anos em média as pessoas costumam acender o seu primeiro cigarro? Infelizmente antes dos 19 anos, é o que revela o INCA (Instituto Nacional do Câncer).

Cada vez mais cedo as pessoas estão se tornando fumantes, e o tabagismo na adolescência tem se tornado um problema grave.

As causas que levam indivíduos a fumar são as mais diversas: Influência dos amigos ou parentes, pertencimento a algum grupo, ídolos que fumam e outros.

São inúmeros os motivos que fazem com que os jovens se tornem fumantes, mas podemos citar como principal o acesso fácil à compra de cigarros e o preço baixo que tem esse produto.

Se você é adolescente ou possui algum em sua casa, continue a leitura. No artigo de hoje nós vamos te contar o porquê você deve se preocupar com o tabagismo na adolescência.


Os prejuízos de fumar na adolescência.

Apesar de o cigarro ser uma droga lícita, ele faz tão mal quanto as ilícitas como a cocaína e a maconha, por exemplo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o hábito de fumar é responsável pela morte de mais de 7 milhões de pessoas. Sendo que, cerca de 1,2 milhão são por causa do tabagismo passivo.

Ainda segundo a OMS, 24 milhões de adolescentes entre 13 e 15 anos no mundo fumam cigarro. E no Brasil, em torno de 100 mil fumantes são adolescentes.

Quanto mais cedo uma pessoa começa a fumar, por mais tempo ela se expõe as substâncias tóxicas e prejudiciais presentes no cigarro, aumentando assim as chances de desenvolver doenças (incluindo diversos tipos de câncer).

Além disso, o risco de desenvolver esquizofrenia aumenta, levando em consideração um estudo publicado na revista científica Lancet Psychiatry.

De acordo com os pesquisadores, isso acontece porque a nicotina altera os níveis de dopamina. Sem contar que é comum que a doença se manifeste no fim da adolescência e início da vida adulta.

Um outro estudo revelou que os adolescentes que bebem e fumam já têm danos perceptíveis em suas artérias aos 17 anos de idade, o que aumentam as chances de AVC e infarto ao longo do tempo.

A boa notícia é que segundo esse estudo, a interrupção do tabagismo na adolescência faz com que as artérias voltem ao normal. Mas como evitar que os jovens fumem? Saiba mais abaixo.

Como prevenir o tabagismo na adolescência

O Congresso dos Estados Unidos, por exemplo, elevou de 18 para 21 anos, a idade mínima para comprar tabaco e cigarros eletrônicos no país.

O objetivo dessa decisão foi combater a popularização dos cigarros eletrônicos entre os adolescentes. Que, inclusive, foi o fator responsável por uma crise de saúde, pois os jovens começaram a apresentar problemas pulmonares.

De fato, dificultar o acesso ao cigarro é uma forma importante para evitar o tabagismo precoce.

Infelizmente no Brasil, apesar de a venda de cigarros ser permitida apenas para maiores de 18 anos, é comum estabelecimentos pequenos de bairros venderem esse tipo de produto para adolescentes.

Portanto, contar com a lei para evitar que seus filhos comecem a fumar não é uma boa estratégia. Aliás, sabemos que existem muitos adultos irresponsáveis que compram cigarros para os menores de idade.

Sendo assim, conheça outras medidas para ajudar os adolescentes a manterem-se longe do tabaco:

1. Estabeleça limites:

Explique para o adolescente que você não aprova o tabagismo porque se preocupa com a saúde dele, o ama e deseja que ele viva saudavelmente por muitos anos.

Fale o quão triste você ficaria se algo de ruim acontecesse a ele e quantas pessoas morrem diariamente por causa desse vício.

2. Choque de realidade:

Conte todos os malefícios que os cigarros podem causar. Cite casos de conhecidos que ficaram doentes ou até mesmo faleceram por causa do fumo. Explique que inicialmente ele pode não notar prejuízos, mas que futuramente isso pode trazer danos graves à sua saúde.

3. Ajude-o a não ceder à pressão da sociedade:

A indústria do cigarro e a sociedade como um todo podem exercer papeis de influenciadores quanto ao tabagismo.

Filmes que apresentam o hábito de fumar como algo descolado, atrativo e fascinante. Amigos que oferecem o cigarro e “excluem” caso o adolescente não aceite. Ídolos que costumam aparecer nas redes sociais fumando e em fotos com cigarro na boca. Músicas que retratam o vício como algo positivo...

Na própria linguagem deles, explique a importância de não ser um “Maria vai com as outras” e os benefícios que se manter firme e se posicionar vão exercer futuramente na vida dele.

4. Seja exemplo

Não adianta pedir para o seu filho não fumar quando você passa o dia inteiro fumando ao lado dele. É fato que os adolescentes se inspiram nos pais, e os seus hábitos influenciam diretamente no comportamento deles.

Se você fuma e entende o quanto isso é prejudicial, evite fazê-lo próximo do seu filho. Saia de perto quando for acender um cigarro ou fume somente quando ele não está em casa.

Caso ele saiba que você fuma, explique para seu filho o quão insatisfeito você se sente por ser fumante e o quanto deseja parar com esse hábito nocivo.


Meu filho adolescente está fumando. E agora?

É certo que as medidas de prevenção são eficazes apenas quando o adolescente ainda não iniciou o hábito de fumar.

Mas então o que fazer quando seu filho já está fumando? Como ajudá-lo a largar o vício e preservar a sua saúde?

Nessa situação o ideal é evitar brigar e fazer ameaças como expulsá-lo de casa, por exemplo. É preciso entender que o tabagismo é uma doença e se livrar da dependência de nicotina não é uma tarefa fácil.

O fumante precisa de ajuda! E você pode apoiá-lo de uma maneira simples.

Baixe o Aplicativo Dei Um Tempo no celular do adolescente e o oriente a fazer as jornadas desenvolvidas por especialistas para a interrupção do tabagismo.

Ele precisa se dedicar apenas 15 minutos por dia, o que é ideal para os adolescentes que não querem “perder o tempo” dos jogos, da saída com os amigos e suas outras atividades favoritas.

Quer saber mais? Conheça o método!


18 visualizações0 comentário