Por que tomar glicose para cortar o efeito do álcool?

Atualizado: 25 de mai. de 2021

Muita gente já sabe que quem bebe demais e é levado ao hospital recebe uma injeção de glicose na veia.


Mas você sabe por que isso é necessário?


Antes de mais é preciso que você entenda os efeitos do álcool no seu sangue e como ele pode gerar uma repercussão potencialmente grave (vamos mostrar porque ela é tão ruim para seu corpo) chamada hipoglicemia.


Visto isso iremos responder se diabéticos podem ou não beber.


Continue por aqui até o final para acompanhar todas essas informações.


Quais os efeitos do álcool na glicemia corporal?


Em um primeiro momento, a ingestão de bebida alcoólica pode aumentar os níveis de açúcar no sangue, tecnicamente conhecido como glicemia.


No entanto, o corpo reage a isso liberando um hormônio chamado insulina. Este é responsável por, dentre muitas outras funções, retirar o açúcar do sangue e levá-lo às células a fim que elas usem a glicose para produzir energia.


Nesse contexto, há alguns pontos a serem destacados, uma vez que em determinadas pessoas a insulina age de maneira mais “forte” para compensar a alta da glicemia por assim dizer…


Assim, os grupos que podem sofrer de um efeito “rebote” são justamente aqueles que sofrem de diabetes tipo 1 ou tipo 2 que fazem uso de medicações como:


● Insulina

● Sulfonilureias


Esta última é uma classe de remédios cujo mecanismo de ação envolve o estímulo da liberação da insulina no corpo de quem os usa. Um exemplo famoso de sulfonilureia é o remédio Glibenclamida.


Nesses cenários, a produção de insulina em resposta ao aumento inicial da glicemia induzido pelo álcool faz com que a pessoa que bebeu fique muito vulnerável à queda abrupta dos níveis de açúcar em seu sangue, ou seja, à um estado de hipoglicemia.


O que seu corpo faz para equilibrar a glicemia?


Uma vez que você compreendeu porque a glicemia cai quando alguém ingere álcool, você deve estar se perguntando: “Ok, mas como os níveis de glicemia vão se normalizar?”.


Pois bem, é claro que seu corpo não vai ficar “parado” assistindo à glicemia baixa.


Por isso, o fígado age fazendo uso de uma reserva de um tipo de açúcar que fica estocada em seu tecido: o glicogênio.


No entanto, as reservas de glicogênio não conseguem equilibrar a glicose do sangue por muito tempo, o que acaba deixando o fígado preocupado, por assim dizer.


Afinal, a outra opções que órgão tem é produzir a própria glicose em um processo denominado gliconeogênese no qual produz-se glicose a partir de proteínas e gorduras corporais. Contudo, há 2 pontos negativos:


● A gliconeogênese não é tão rápida como o uso do glicogênio

● O fígado já está sobrecarregado graças a função de metabolismo do álcool


Nesses casos, então, é necessário ir a um hospital para que se administre glicose diretamente no sangue, já que o próprio corpo não dá conta de equilibrar os níveis da substância.


Por que a hipoglicemia faz mal?


Conforme dito antes neste artigo, a glicose é indispensável para que as células produzam a energia que basicamente é aquilo que permite o funcionamento de todo o corpo.


Assim, um estado de hipoglicemia, por lógica, causa uma falta de energia para todo o corpo. E qual seria o órgão que mais sofre com esse estado? Seu cérebro, claro!


O mais perigoso é que os sintomas iniciais de hipoglicemia confundem-se com os próprios efeitos do álcool no corpo. Por exemplo, tanto o álcool quanto a baixa de glicose sanguínea podem causar: náuseas, suor frio, tontura.


Além disso, outros sintomas da hipoglicemia são:


● Lentidão dos movimentos;

● Dificuldade em pensar e em agir;

● Dificuldade em realizar o que estava fazendo, seja trabalhar, operar uma máquina ou dirigir;

● Desmaio;

● Lesão cerebral irreversível;

● Coma e Morte.


Por isso, é importantíssimo ficar atento com os sintomas que podem indicar uma hipoglicemia e buscar ajuda médica o quanto antes para evitar qualquer tipo de consequência desse estado.


Diabéticos podem beber?


Para encerrar esse artigo, vamos abordar uma dúvida clássica de quem possui diabetes: “Será que posso beber ou não?”.


Como falamos antes, quem sofre com diabetes tipo 1 ou tipo 2 tem a produção de insulina alterada e muitas vezes precisa fazer uso de medicações que estimulam a produção de insulina ou do próprio hormônio em si.


Visto isso, a recomendação para quem sofre com diabetes é ter cautela com o uso do álcool.


Se o quadro está controlado, ou seja, os níveis de glicose no sangue são continuamente catalogados em patamares normais, não é preciso excluir de uma vez por todas a substância.


Nesses casos, a Associação Americana de Diabetes recomenda que a quantidade máxima de álcool que deve ser ingerida por alguém com a doença deve ser, para um homem adulto (lembrando que, de forma geral, os efeitos do álcool são mais fortes nas mulheres):


● 680 ml de cerveja com 5% de álcool (2 latas de cerveja);

● 300 ml de vinho com 12% de álcool (1 taça e meia de vinho);

● 90 ml de bebidas destiladas, como whisky ou vodka com 40% de álcool (1 dose).


Além disso, caso o diabético for beber, é preciso tomar certas cautelas para evitar que o álcool espalhe para o sangue de forma rápida.


Entre uma das medidas importantes está a ingestão de algum alimento como por exemplo torradas com patê junto ou antes do consumo das bebidas.


Como você deve saber, beber de estômago vazio não é nada bom.


Alimentar-se nesse contexto tem duplo benefício, pois não só preenche o estômago evitando com que o álcool seja absorvido de forma abrupta, mas também sustenta a glicose elevada por mais tempo, evitando a hipoglicemia.


Conclusão


A hipoglicemia é um problema sério que pode, em casos extremos, levar ao óbito de quem sofre desse estado.


Por isso, é necessário consumir as bebidas alcoólicas com toda moderação possível, sobretudo no caso dos diabéticos que correm maior risco de sofrer de hipoglicemia.


Se você está passando por dificuldades em relação ao consumo de bebida e gostaria de dar um tempo no álcool, saiba que nós estamos aqui para te ajudar.


Com o app da Dei Um Tempo você tem todo o suporte do nosso time de especialistas que vão te oferecer dicas diárias para te ajudar nessa jornada.


Conheça os nossos planos e dê início a uma nova fase em sua vida!


56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo