Nicotina e Ansiedade, qual a relação?

Atualizado: 25 de mai. de 2021

Todo mundo pelo menos uma vez na vida já sentiu ansiedade. Esse sentimento é comum antes de eventos importantes, como reuniões, apresentações de trabalho ou entrevistas. Quem fuma pode ter passado por essa situação mais vezes do que um não fumante, pois a nicotina e a ansiedade estão relacionadas.

Quando o fumante traga um cigarro, a nicotina chega em seu cérebro em torno de 9 segundos, atuando sobre o seu sistema nervoso central, o que inicialmente causa uma sensação prazerosa e de bem-estar.

Entretanto, essa sensação é passageira, pois o organismo é capaz de se acostumar com a droga, necessitando de mais cigarros para obter a mesma sensação de antes, aumentando o vício e fazendo com que a pessoa precise de cada vez mais nicotina.

Quando a pessoa fica um período sem fumar, ela rapidamente sente a necessidade de acender outro cigarro, desencadeando agitação e ansiedade. Muitas vezes, quando não é possível fumar no momento da fissura, o fumante entra em uma crise de ansiedade gerada pela síndrome da abstinência, que parece aliviar no momento em que ele traga o próximo cigarro.

É por esse motivo que, erroneamente, as pessoas acreditam que o hábito de fumar seja relaxante e ajude a melhorar os sintomas causados por transtornos mentais, tais como a depressão e síndrome do pânico, por exemplo.

Continue a leitura para entender mais sobre a relação entre nicotina e ansiedade.


O que é a nicotina?


A nicotina é uma droga psicoativa encontrada em todos os derivados do tabaco, tais como: cigarro, charuto, cachimbo, cigarro de palha, cigarro eletrônico, narguilé, entre outros.

O nome dessa substância é derivado do diplomata francês Jean Nicot, que foi o responsável por difundir o tabaco na França. Ele trouxe essa planta de Portugal e a tornou conhecida e consumida no seu país.

A nicotina é a principal responsável por causar a dependência do fumo e gerar diversos outros malefícios para a saúde. Há inclusive evidências de que a nicotina e a ansiedade estão relacionadas.

Essa substância pode ser fatal para os seres humanos, a dose média considerada letal varia entre 40 mg e 60 mg. Para se ter ideia do perigo que um fumante corre, apenas um cigarro já possui em torno de 0,06 mg.

Ainda, de acordo com o Site do Dr. Drauzio Varela, a dependência de nicotina é maior que a de outras drogas como a cocaína e heroína, afetando drasticamente a saúde de quem fuma.

A ação dessa droga é constante, por isso, ela continua agindo no cérebro mesmo durante a noite, enquanto o fumante está dormindo.


O que é a Ansiedade?


A ansiedade pode ser considerada normal ou patológica. Nas ocasiões consideradas comuns, ela aparece de forma natural como um método de defesa do nosso organismo para situações e problemas da vida, além de possíveis ameaças.

Conforme citamos anteriormente, todo mundo já teve esse sentimento pelo menos uma vez na vida. Seja no primeiro dia de aula, antes de provas importantes, compromissos de trabalho, início em um novo emprego, na véspera do casamento ou formatura e em inúmeras outras situações relevantes.

A ansiedade só é considerada uma patologia quando surge sem motivo aparente e o indivíduo não é capaz de controlá-la.

A pessoa que sofre com transtorno de ansiedade generalizada (TAG) se sente incapaz de reagir em situações do dia a dia, apresentando sintomas físicos e psicólogos que afetam a rotina e atrapalham a qualidade de vida. Veja os principais abaixo:

● Medos frequentes (de estar ficando louco, de estar com doenças, e das ideias de suicídio);

● Sensação de aperto no peito;

● Suor frio;

● Tremor;

● Dificuldades para respirar;

● Incapacidade de se expressar e se comunicar;

● Medos exagerados;

● Perfeccionismo;

● Dificuldades para dormir e alteração do sono;

● Pensamentos e lembranças ruins frequentemente;

● Dores inespecíficas;

● Roer unhas, arrancar peles da boca, balançar a perna e outras manias;

● Tensões musculares;

● Boca seca;

● Problemas gastrointestinais;

As crises de ansiedade podem ser causadas tanto pelo consumo da nicotina como pela sua falta quando ocorre a abstinência. Saiba mais abaixo.


Qual a relação entre nicotina e ansiedade?


As pessoas tendem a usar o cigarro para diminuir a agitação, no entanto, acabam aumentando cada vez mais o nível de dependência.

Embora muitos acreditem que fumar deixa mais calmo, um estudo revelou que interromper o tabagismo pode reduzir a depressão, ansiedade e estresse, melhorando significativamente a qualidade de vida.

A nicotina presente no cigarro fica no organismo do fumante por cerca de duas horas, após isso, começa a síndrome da abstinência, aumentando a ansiedade.

A pessoa passa a sentir a necessidade de fumar novamente, e isso eleva a sensação de ansiedade, principalmente se ela estiver em um local onde é proibido o fumar ou não tiver cigarros disponíveis.

Portanto, para “acabar com essas sensações ruins” as pessoas fumam, associando isso com o relaxamento da mente e do corpo. No entanto, poucos consideram que a crise pode ter sido causada pelo uso do próprio cigarro.

Além disso, é importante mencionar que o hábito de fumar aumenta a vulnerabilidade para outros transtornos mentais, já que afeta negativamente o cérebro.


Nicotina e Ansiedade, como se livrar dos dois ao mesmo tempo?


Como você pôde ver acima, a nicotina e a ansiedade estão diretamente relacionadas. Portanto, se você deseja se sentir menos ansioso, uma excelente maneira é largar esse hábito nocivo.

O Programa Dei Um Tempo foi desenvolvido por especialistas para te ajudar com esse objetivo e melhorar a sua qualidade de vida, bem como a sua saúde.

Você precisa se dedicar 15 minutos por dia para largar o cigarro e ainda por cima melhorar o seu transtorno de ansiedade.

O nosso método foi criado pensando em fornecer um recurso terapêutico agradável, flexível e simples.

Em um sistema elaborado para encaixar até mesmo nas rotinas mais agitadas, você assistirá a um vídeo motivacional de apenas 3 minutos, ouvirá um podcast de no máximo 10 minutos que vai promover reflexão e relaxamento, auxiliando na sua ansiedade. E por fim, você registrará todas as suas conquistas no seu livro de jornada.

Quer saber mais sobre esse método? Clique aqui!

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo