Coma alcoólico: o que você precisa saber sobre o assunto

Atualizado: 26 de mai. de 2021

Apesar de beber casualmente e em moderação não ser um problema, ingerir grandes quantidades de álcool de uma vez pode ser muito perigoso, porque coloca seu corpo em risco de sofrer um coma alcoólico.


Tal situação é uma condição grave que pode se desenvolver mesmo algum tempo depois que se cessa a bebedeira.


Saber identificar os sintomas de um possível coma alcoólico e realizar as intervenções certas o quanto antes pode fazer toda a diferença na vida de alguém.


Por isso, nós da Dei Um Tempo decidimos criar esse artigo para que você aprenda aquilo que é mais importante sobre o coma alcoólico. Vamos lá?


Sinais e sintomas do coma alcoólico


Um dos sinais mais característicos do coma alcoólico é a perda da consciência.


Isso se dá quando a concentração de álcool no sangue atinge um certo nível que varia de pessoa para pessoa.


Nesse contexto, mesmo quando alguém para de beber, a concentração de álcool no sangue pode continuar aumentando por 30-40 minutos, resultando em um agravamento dos sintomas.


No entanto, a perda de consciência não se dá de forma abrupta, ou seja, há uma série de sinais e sintomas que podem ser observados antes do coma alcoólico, entre eles:


● Confusão;

● Hipotermia (a temperatura corporal da pessoa cai);

● Pele pálida, às vezes pode assumir uma tonalidade azulada;

● O indivíduo não responde, mas ainda está consciente;

● Desmaio;

● Respiração muito lenta - às vezes até 10 segundos entre as respirações;

● Vômito - nesse estado há chances de se engasgar com o vômito, gerando problemas potencialmente letais (asfixia e infecções pulmonares).


Se, mesmo após esse quadro, a pessoa continuar bebendo ela pode apresentar sinais e sintomas bem mais graves como, por exemplo:


● Parada completa da respiração;

● Ataque cardíaco;

● Desidratação severa com risco de dano cerebral irreversível;

● Hipoglicemia que pode causar convulsões.


Assim, se a ingestão de álcool for extrema, a pessoa pode entrar em coma e ir a óbito.


Além disso, quem já passou por uma situação em que se bebe demais sabe que a mente passa a funcionar de uma forma diferente.


Isso pode gerar outras situações de risco para a vida como, por exemplo, dirigir embriagado ou envolver-se em brigas.


Nesse sentido, é muito importante que quem está tendo dificuldades com o álcool busque ajuda especializada.


Apesar do alcoolismo ser um problema desafiador, saiba que você não está sozinho e nós da Dei um Tempo estamos aqui para te ajudar.


Será que você precisa dar um tempo no álcool? Clique aqui e descubra!


Tratamento para o coma alcoólico


O coma alcoólico é uma condição médica grave. Por isso, requer tratamento imediato.


Se você suspeitar que alguém esteja nesse estado, uma ambulância deve ser chamada o quanto antes.


Antes da chegada da ajuda especializada, busque seguir as seguintes instruções:


● Tente manter a pessoa acordada;

● Tente mantê-la sentada, não deitada - se a pessoa se deitar, vire a cabeça dela para o lado;

● Se a pessoa estiver consciente e respondendo, dê água a ela;

● Verifique se a pessoa está respirando;

● Não lhe dê café, pois a cafeína agrava a desidratação;

● Não deite a pessoa de costas;

● Desencoraje a pessoa a andar, pois isso aumentará a chance de vômito.


No hospital, dependendo do nível de alcoolemia do paciente e da gravidade dos sinais e sintomas, os profissionais da saúde irão apenas monitorá-lo até que seus níveis de álcool caiam gradualmente.


No entanto, dependendo da gravidade dos sintomas, outros tratamentos podem incluir:


● Entubação para ajudar a respiração;

● Administração endovenosa de hidratação, glicose e de vitaminas;

● Colocação de um cateter urinário em caso de incontinência.


Se a pessoa - geralmente ocorre com crianças - tiver bebido involuntariamente metanol ou álcool isopropílico ela pode precisar de diálise para acelerar a remoção de toxinas de seu corpo.


As etapas da intoxicação por álcool até o coma


Os estágios de intoxicação alcoólica são, como dito antes, graduais e envolvem:

  1. Sobriedade ou intoxicação subclínica;

  2. Euforia;

  3. Excitação;

  4. Confusão;

  5. Estupor;

  6. Coma;

  7. Morte.

Vejamos quais são as características de cada uma das etapas.


Etapa 1: Sobriedade ou Intoxicação Subclínica


Nesse estado a pessoa está aparentemente normal, mas o julgamento e o tempo de reação podem estar ligeiramente prejudicados.


Etapa 2: Euforia


Nesta fase, o indivíduo pode se sentir mais confiante, ficar falante, desinibido e animado.


Embora alguns efeitos do álcool possam ser agradáveis para quem consome, os efeitos negativos tais como déficits de memória e coordenação começam a se agravar neste momento.


Etapa 3: Entusiasmo


Aqui há notável instabilidade emocional e é nesse momento que algumas pessoas se tornam mais agressivas.


Além disso, outros sintomas que podem se apresentar são:

● Problemas de visão, incluindo diminuição da visão periférica; ● Perda de equilíbrio; ● Sonolência; ● Náuseas e vômitos.


Etapa 4: Confusão


Nesta fase a coordenação está nitidamente prejudicada a ponto da pessoa mal conseguir andar por causa da tontura.


O "apagão" (perda da memória dos eventos que ocorreram durante o consumo de álcool) sem ter havido desmaio pode acontecer nesta fase.


Além disso, uma pessoa nesse estado pode ter seu limiar de dor aumentado, o que significa que ela pode se ferir e não sentir os efeitos na hora.


Etapa 5: Estupor


É um estado muito perigoso, pois ele precede o coma alcoólico.


Nesse estado a pessoa pode não controlar seus esfíncteres e simplesmente desmaiar.

Essa situação é preocupante, pois pode levar à hipotermia, arritmia e convulsões.


Etapa 6: Coma


No coma, a respiração e a circulação estão severamente deprimidas.


Além disso, a resposta motora e os reflexos estão acentuadamente diminuídos.


Se a ajuda médica não for dada prontamente, quem está em coma pode ir a óbito em pouco tempo.


Conclusão: o coma alcoólico é um estado altamente perigoso


Como a quantidade de álcool necessária para atingir vários estados de intoxicação varia dependendo do indivíduo, o que pode ser uma dose fatal para uma pessoa pode não ser para outra.


De acordo com o Datasus, o sistema de informática do Sistema Único de Saúde (SUS), o coma alcoólico tirou a vida de mais de 16,5 mil vidas em 2018.


Essas estatísticas mostram que é preciso lidar com muita seriedade em relação ao alcoolismo.


Se você está precisando de ajuda neste momento tão complicado, saiba que podemos te auxiliar a sair dessa.


Nossa plataforma está à sua disposição para te guiar diariamente na sua jornada para dar um tempo no álcool.


Por meio do nosso app, você pode obter o amparo do nosso time de especialistas e o suporte da nossa comunidade de forma 100% sigilosa.


Fique à vontade para saber mais clicando aqui!


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo