Cigarro de palha faz mal? Desmistificando o “palheiro”.

Atualizado: 2 de ago. de 2021

Há alguns anos os cigarros de palha eram restritos aos moradores rurais. Porém, quando o cigarro industrializado foi ganhando popularidade, esse grupo passou a migrar para a nova forma de fumo.

Atualmente, pode-se encontrar esse tipo de cigarro em qualquer cidade, inclusive comercializados semelhantemente aos tradicionais, em carteiras com várias unidades já enroladas e preparadas para o consumo.

Além disso, esse hábito deixou de ser considerado “coisa de gente mais velha”. Não é preciso se esforçar muito para encontrar jovens e adultos utilizando o palheiro por aí.

Mas será que o cigarro de palha faz mal? Qual é pior, o industrializado ou o de palha?

Na verdade, todo produto derivado do tabaco faz mal! Entenda a seguir.

Artesanal não significa menos prejudicial

O cigarro de palha, popularmente conhecido como “palheiro” não é tão inofensivo como muitos pensam.

Antigamente, o cigarro de palha era considerado um hábito dos mais velhos. Mas a nova geração tem incorporado esse tipo de fumo na sua rotina. O que é bastante preocupante!

Há uma falsa crença de que por não ser industrializado, esse tipo de fumo não cause tantos danos à saúde. Mas a verdade é que ele também é responsável por inúmeras doenças.

Inclusive, especialistas alertam que um cigarro de palha pode equivaler a até três cigarros de papel.

Lembrando que fumar cigarros de papel já é considerado um dos vícios mais prejudiciais à saúde. Foi comprovado através de diversos estudos científicos a acumulação de substâncias tóxicas, carcinogênicas e outras em sua composição.

Porém, esse tipo de cigarro não tem filtro e não passa o ar direito, dessa forma toda a fumaça é tragada, sendo mais prejudicial.

Sem contar que o cigarro de palha possui cinco a sete vezes mais nicotina e alcatrão que os industrializados.

É comum as pessoas que trocaram o cigarro convencional pelo de palha relatarem que diminuíram a quantidade de consumo. Mas como ele é mais concentrado, os danos são os mesmos, ainda que se fume menos.

Além disso, os malefícios não estão apenas no ato de tragar. Somente colocar a fumaça na boca já é prejudicial, pois a cavidade oral absorve as substâncias tóxicas, aumentando os riscos de câncer bucal.

Qual faz mais mal, o cigarro de palha ou o industrializado?

Acho que essa resposta já ficou subentendida, não é mesmo? Os dois tipos de cigarro não são bons para sua saúde.

Por serem feitos de tabaco, as mesmas substâncias tóxicas dos cigarros industrializados podem ser obtidas nos cigarros de palha.

Quando o tabaco é queimado, forma-se na fumaça uma mistura de várias substâncias, o que leva ao alcatrão (que é cancerígeno). E como o cigarro artesanal não possui aquele filtro que vem nos convencionais, acabamos absorvendo mais tabaco, o que acaba sendo mais prejudicial.

Independentemente do tipo de fumo que você escolher, esteja ciente de que esse hábito está relacionado com mais de 50 tipos de doenças, incluindo diversos tipos de câncer que incluem: pulmão, boca, laringe, faringe e outros.

Há uma forte tendência nos consumidores atuais de adquirirem e usarem produtos naturais. E é claro que a indústria do cigarro se aproveita disso para vender o cigarro de palha como uma alternativa mais saudável.

E, infelizmente, muitas pessoas acreditam nesse tipo de publicidade. Não é à toa que muitos estão trocando os cigarros convencionais pelos palheiros.

Por fim, a maior diferença entre os cigarros de palha e os com filtro está nos materiais usados ​​para embalar o tabaco.

O convencional utiliza papel que queima de forma rápida e uniforme, enquanto o palheiro envolve o tabaco com a palha seca do milho. E nos dois casos há prejuízos para a saúde humana.

O papel contém compostos cancerígenos enquanto a palha é capaz de transportar uma grande quantidade de monóxido de carbono para os pulmões, colocando em risco a função pulmonar.

O cigarro de palha também vicia?

Sim, o cigarro de palha também vicia, pois é feito do tabaco assim como o cigarro industrializado.

A nicotina, é uma substância presente em todos os produtos derivados do tabaco, sejam cigarros de palha, industrializados, charuto, cachimbo, narguilé e outros. Essa é a droga responsável por causar a dependência química.

Ao fumar o usuário inala essa substância psicoativa, que gera sensações de prazer e bem-estar por um curto período, e quando o efeito acaba, ele precisa acender outro cigarro, causando assim o vício.

O cigarro de palha é uma droga, que altera o estado emocional e comportamental dos consumidores. E apesar de lícita é capaz de fazer tão mal quanto as drogas ilegais como cocaína e heroína, por exemplo.

Mas isso não significa que você vá se tornar dependente do cigarro de palha na primeira vez que fumar. Porém, quanto mais você inala a nicotina, mais o seu cérebro se acostuma e será necessário fumar cada vez mais palheiros para obter aquelas sensações do início.

E o uso contínuo desse tipo de fumo é capaz de causar diversas doenças que podem, inclusive, levar à morte.

O ritual do cigarro de palha e a dificuldade de se livrar do vício

Há uma diferença importante entre o cigarro de palha e os convencionais: o ritual antes do fumo.

O adepto ao cigarro de palha escolhe e compra o fumo, ajeita e enrola antes de fumar. E isso pode acabar dificultando para aqueles que desejam se livrar do mal hábito.

Isso acontece porque esse processo passa a se tornar parte da rotina, da mesma forma que o hábito de tomar café em conjunto com os cigarros industrializados.

E não é segredo para ninguém que é muito difícil mudar comportamentos.

Mas, se você deseja interromper o tabagismo ou até mesmo dar um tempo, saiba que podemos te ajudar!

Desenvolvemos um método agradável, flexível e eficaz para ajudar pessoas a se livrarem de hábitos nocivos.

Todo o processo foi elaborado por profissionais especialistas em saúde e dependências, pensando na rotina agitada da população atualmente. Por isso, você precisa se dedicar apenas 15 minutos por dia!

Quer saber mais? Conheça o Dei Um Tempo.

118 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo