É possível parar de beber e fumar: uma história de superação

Atualizado: 26 de mai. de 2021

As pessoas muitas vezes se perguntam se é realmente possível parar de beber e fumar.

Os vícios, tanto o da nicotina como o do álcool, são um desafio.

Nesse sentido, não há nada tão motivador e encorajador como ouvir a história de alguém que tenha conseguido deixar ambos os vícios.

O que muitas pessoas que se recuperaram aprenderam é que os princípios que as ajudaram a se recuperarem de um vício também podem ser muito úteis na recuperação de outro.

Por isso, nós da Dei um Tempo vamos compartilhar uma história de superação em relação a isso. Venha ver!


Conscientização e Ação


Ao analisarmos o processo de recuperação da dependência do álcool e da nicotina, veremos o exemplo de uma mulher cujo nome fictício será Maria, para respeitar a privacidade dela.

A jornada pessoal de recuperação de Maria começou quando ela se juntou a um grupo de apoio para buscar ajuda em relação ao uso diário da bebida como forma de aliviar os problemas do dia a dia.

Maria estava repleta de sentimentos de agonia, remorso, impotência e desespero.

Apesar de pessoas com alcoolismo terem experiências diferentes, há muitos pontos em comum que podem ajudar cada um a perceber que não estão sozinhas, mas sim fazem parte de uma comunidade de pessoas em recuperação.

Durante as reuniões, Maria sentia-se bem por estar perto de pessoas que estavam passando por uma dor semelhante à dela e, segundo ela, sozinha ela não teria encontrado forças para superar a questão...

Se você quer fazer parte de uma comunidade na qual você pode compartilhar suas dores a respeito do uso do álcool, fique à vontade para conhecer o app da Dei um Tempo clicando aqui.


O papel do grupo de apoio


Segundo Maria, encontrar um grupo de apoio foi fundamental no processo de cessação de seus vícios.

À medida que ela começou a interagir com as pessoas do grupo e acatar alguns conselhos de especialistas e de pessoas que já haviam superado a dependência química, ela teve sucesso no seu abandono do álcool e, posteriormente, do cigarro.

Mas, segundo ela, a libertação não é uma cura que ocorre de um dia para o outro.

Pelo contrário, recuperar-se do alcoolismo é um processo contínuo e vitalício.


A recuperação e seus desafios


A recuperação de fato é um processo.

No início dessa jornada, Maria diz que sofreu muito medo que hoje ela entende que foi uma negação.

Ou seja, ela sentia que o caso dela não era o mais grave então talvez não houvesse problema algum em continuar bebendo…

Numa reunião, Maria ouviu outra mulher partilhar que tinha abusado dos seus filhos.

Ela disse para si mesma: "Eu nunca fiz isso", ignorando o fato de que ela não tinha filhos.

De fato, isso não significa que o seu uso de álcool não seja um problema.

Como Maria consumia álcool sozinha, o seu consumo não teve grandes efeitos no seu comportamento público.

Mas os danos ao seu pensamento, à sua mente e às suas relações pessoais foram profundos.

Assim, em uma constante luta para compreensão interior, Maria conseguiu permanecer longe do álcool por muitos anos, mas um outro problema a afligia...


Vício do Tabaco


Maria, nossa protagonista, também enfrentava uma luta contra o cigarro.

Por isso, juntou-se a um fórum de apoio e se identificou com outras pessoas que enfrentam a luta para parar de fumar.

Como no caso do vício em álcool, o que a maioria das pessoas aprende depois de várias tentativas de parar de fumar é que deixar de fumar sozinho pela força de vontade muitas vezes se revela infrutífero.

As recaídas repetidas são comuns e podem levar uma pessoa a acreditar que se está condenada a ser fumante por toda a vida.

Assim como no alcoolismo, o 1º passo para dar um tempo consiste em admitir que se beira à impotência tentar a cessação por conta própria.

Dessa maneira, segundo Maria, aqueles que percebem que a vontade por si só não é suficiente para deixar de fumar são muitas vezes os mais bem-sucedidos.


Dar um Tempo é Possível


Um dos primeiros passos para muitas pessoas conseguirem dar um tempo é superar o medo de deixar de fumar, aponta Maria.

E ela complementa:

“É provável que tenha tentado parar de fumar ou de beber e pense que isso não é possível, pois recorreu novamente à substância. O stress dessas experiências pode aumentar o seu medo, mas não desanime!”

Saiba que a recuperação é possível.

É preciso trabalho, tempo, paciência e perseverança, mas é possível.

Se você ou um ente querido estiver lutando com o uso de substâncias ou dependência, conheça nossas jornadas em que oferecemos, diariamente, dicas de especialistas para te acompanhar durante todo o processo.


Usando os ensinamentos para deixar de fumar


Maria percebeu que muitos dos princípios aprendidos no processo para deixar de beber também podem ser úteis também para a cessação do tabagismo.

É interessante, para parar de beber, que se tenha pessoas para oferecer suporte durante a jornada.

As pessoas que desejam deixar de fumar também podem experimentar esta abordagem, e foi exatamente o que fez Maria.

Assim, a partir do momento que ela decidiu que iria também parar de fumar, ela encontrou um mentor para ajudá-la no processo de deixar o cigarro.

Além disso, outro conselho que ajuda na cessação do alcoolismo é se concentrar em um plano de ação - como ler, meditar e compartilhar as dores.

Dessa maneira, você também pode mudar sua atitude mental e sua conexão emocional com relação ao cigarro, diz Maria.


Vigilância e Gratidão


A data que marca a última bebida ou o último cigarro de uma pessoa marca o fim de anos de comportamento destrutivo e o início de uma jornada contínua de recuperação.

A recuperação a longo prazo é um processo contínuo.

Hoje, apesar de 22 anos sem fazer o uso do álcool e do cigarro, Maria sabe que precisa estar em constante vigilância para não cair novamente e ela sente-se grata todos os dias que permanece sem essas substâncias, afirmando:

"Mesmo tendo trabalhado muito para alcançar a liberdade, tenho a sensação de que sou um milagre da graça de Deus que veio até mim. Estou em um processo contínuo de uma vida que é alegre, livre e cheia de gratidão".


Uma Palavra de Motivação


Esta história de recuperação tanto do vício do álcool como do tabagismo mostra como uma abordagem semelhante pode funcionar para ambas as dependências.

Apesar de não ser um caminho fácil, é extremamente recompensador.

Segundo Maria:

“Eu nunca estive tão bem, tão feliz como estou agora. Posso ser a minha melhor versão todos os dias e, por isso, vivo uma vida com muito mais leveza e sentido! Se você sente que deve livrar-se desses vícios, procure ajuda especializada e saiba que é 100% possível!”

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo